como_abrir_me

Como abrir uma ME

Está pensando em abrir uma microempresa? O Qipu te ajuda. Ja fizemos um post falando sobre as diversas razões para mudar sua situação de MEI para ME. Agora vamos falar um pouco sobre como ingressar no mercado como microempreendedor.

Antes de abrir uma empresa, é necessário definir o formato jurídico, o porte da empresa e o regime tributário a ser seguido. Quanto ao porte e regime tributário, assumimos que o empreendedor tenha optado por uma ME do Simples Nacional, uma empresa micro (que fatura de R$60.000,01 a R$360.000,00 por ano) optante por um regime simplificado para pequenos empresários. A partir daí, existem três possíveis formatos jurídicos:

EIRELI – Empresa Individual de Responsabilidade Limitada

Uma microempresa EIRELI tem um único dono/titular, que tem responsabilidade limitada sobre a empresa. Isso significa que os patrimônios pessoais do empreendedor são separados de sua empresa, assim ele não é afetado pelas dívidas jurídicas.

Legalmente, para abrir uma EIRELI, é necessário ter um capital social de, no mínimo, 100 salários mínimos, ou seja, é necessário ter como investimento inicial R$88.000,00 ou mais, incluindo o valor de bens como carros e imóveis concedidos à empresa.

Ltda – Limitada

A empresa Ltda (limitada) é um tipo de sociedade que define a participação que cada sócio tem na empresa de acordo com sua contribuição. Todo investimento conta, seja em dinheiro, imóveis ou quaisquer outros bens, e devem ser especificados no contrato de abertura da empresa.

Este modelo permite que o patrimônio dos sócios seja preservado. Assim, se a empresa adquirir dívidas e vier a falir, os empreendedores são responsáveis apenas pelo valor correspondente ao capital social da empresa.

EI – Empresário Individual

No caso do empresário individual, é dispensável o contrato social, pois a empresa é constituída por apenas uma pessoa, ou seja, não tem a participação de sócios. O que muda em relação aos outros modelos? O EI atua sem a separação do patrimônio pessoal e empresarial. Ou seja, este modelo “confunde” as pessoas física e jurídica. Assim, em caso de dívidas e falência, o empresário pode perder bens pessoais.

Definido o formato jurídico da sua empresa, o próximo passo é a abertura do seu negócio. Para muitos, esta é uma fase complicada e extremamente burocrática. Mas não precisa ser assim. O Qipu oferece estes serviços, e melhor, por um preço diferenciado.

botao_falar