Ser MEI vale a pena? Quais os benefícios dessa modalidade?

Ser MEI vale a pena? Quais os benefícios dessa modalidade?

Sem tempo para ler? Que tal ouvir esse texto? Clique no play e ouça a matéria:


A economia brasileira vem se recuperando de uma forte crise econômica a passos lentos. Prova disso é a taxa de desemprego que, após uma tímida melhora, continua alta: 12,8 milhões de pessoas ainda estão sem trabalho.

Diante desse cenário, muitos brasileiros se viram como podem e passam a trabalhar como autônomos no mercado informal. Porém, a informalidade não garante a esses trabalhadores uma série de direitos que eles teriam, se estivem com a carteira assinada.

Mas então o que fazer?

Ora, que tal abrir a própria empresa, criar um negócio do zero? Garanto a você que isso é mais simples do que você imagina.

O que muitas pessoas que se encontram nessa situação de autônomo fazem é se tornarem Microempreendedores Individuais, ou MEIs. Mas será que ser MEI vale a pena?

Neste artigo, vamos te dar 6 motivos para fazer um cadastro no MEI e formalizar a sua atividade econômica.

Leia também: 10 dicas para progredir e manter a sua MEI regularizada
EBOOKS E PLANILHAS: Conheça nossa página de materiais gratuitos

Ser MEI vale a pena?

Assumir a condição de Microempreendedor Individual é a solução que inúmeras pessoas que trabalham por conta própria vêm adotando para sair da informalidade e ter os seus direitos garantidos.

Para muitos, o cadastro no MEI vale a pena simplesmente pelo fato de poder desempenhar suas atividades profissionais de acordo com a lei. Mas existem outras razões para se tornar um Microempreendedor Individual.

São elas:

1. Contribuição mensal simplificada

Um dos principais motivos que fazem o cadastro no MEI valer a pena é a simplicidade com a qual é feita a arrecadação dos seus impostos. Por meio do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), você paga de uma só vez todos os seus tributos:

     
  • INSS: 5% sobre o valor do salário mínimo vigente;
  •  
  • ISS: R$ 5,00 destinados ao seu município caso você exerça atividades de prestação de serviços e/ou transportes municipais;
  •  
  • ICMS: R$ 1,00 destinado a sua Unidade Federativa caso você exerça atividades de indústria, comércio e/ou transportes de cargas interestadual.

2. Declaração simplificada

Muita gente tem receio de se tornar um Microempreendedor Individual por medo da burocracia, principalmente no que diz respeito à declaração de renda.

Fica tranquilo. Quem é MEI declara a sua renda de maneira bem simples. Todo ano, até o dia 31 de maio, a pessoa deve enviar a Declaração Anual de Faturamento do Simples Nacional (DASN – SIMEI). Trata-se de um relatório com todos os ganhos mensais no ano anterior.

Tudo é feito pela internet e você nem precisar sair de casa.

Confira mais detalhes neste vídeo:


3. Acesso a programas de auxílio do Governo

Um dos dramas de quem não tem carteira de trabalho assinada é não poder contar com uma série de auxílios do Governo previstos em lei.

No entanto, ao se tornar Microempreendedor Individual, você passa a ter acesso a 6 benefícios. São eles:

     
  • Salário-maternidade: mínimo de 10 meses de contribuição;
  •  
  • Auxílio-doença: mínimo de 12 meses de contribuição;
  •  
  • Auxílio por invalidez: mínimo de 12 meses de contribuição;
  •  
  • Auxílio-reclusão: mínimo de 24 meses de contribuição;
  •  
  • Auxílio por morte: mínimo de 24 meses de contribuição;
  •  
  • Aposentadoria: mínimo de 180 meses de contribuição.

Leia também:

4. Facilidade para obtenção de créditos

Quando você é autônomo e atua na informalidade, dificilmente você conseguirá acesso a linhas de crédito para financiar a sua atividade econômica e conseguir crescer.Mas, para quem é MEI, existem programas que facilitam a obtenção de créditos. Vários bancos e instituições do governos possuem condições especiais para quem é Microempreendedor Individual.DICA:Entenda como funciona empréstimo e quais são as opções

5. Participação em licitações públicas

Ser MEI vale a pena também devido à possibilidade de participar de processos de licitação pública. Ou seja, você poderá vender seus produtos para o Governo ou prestar serviços para algum órgão público.

6. Contratação de funcionário

Quem é MEI também tem a possibilidade de contratar até um funcionário para ajudá-lo no seu empreendimento. Nesse caso, a lei garante que seja pago pelo menos um salário mínimo ou o piso da categoria do empregado.Você sabe? O que são e qual a diferença entre MEI e ME? 9 comparativosE aí? Está convencido de que ser MEI vale a pena? Se você está na informalidade, não perca mais e faça logo o seu cadastro de Microempreendedor Individual e usufrua de todas essas e outras vantagens.E se você usar o aplicativo Qipu, com diversas funcionalidades gratuitas, é mais fácil ainda!Confira só as vantagens, neste vídeo:


Ainda está em dúvida sobre as vantagens de ser um MEI? Então baixe nosso e-book gratuito: Quais as vantagens e benefícios de ser um MEI